terça-feira, 21 de julho de 2015

Falando sobre: O clube dos cinco


"...E essas crianças em que você cospe, enquanto elas tentam mudar seus mundos, são imunes às suas consultas. Elas sabem muito bem pelo que atravessam...” David Bowie 
Adolescência. Estarei mentindo se eu disser que essa foi ou é a melhor fase da minha vida. A hipocrisia seria ainda maior se eu dissesse que tenho vontade de viver isso para sempre. Se eu disser que eu amava a escola, com toda certeza estarei sendo ridiculamente mentirosa. Se na faculdade ainda é uma droga, no ensino médio tudo parecia pior. 
Padrões, sentimentos demais, regras, as pessoas que esperam perfeições de nós. A sociedade que sempre espera nosso pior se não nos encaixarmos em seus valores. Somos julgados e reagimos a isso de formas diferentes e particulares. Não somos um padrão, mas indivíduos. A diferença é que por qualquer lugar que passemos seremos considerados a massa geral, e, na escola não é diferente. Em nossos lares não é diferente. O mundo tende a nos o unir e nos classificar em uma padronização.
O Clube dos Cinco trata de um cenário que vai além de cinco adolescentes sentados em uma sala de aula em um sábado de manhã. Trata de indivíduos. Indivíduos que são vistos dentro de estruturas padronizadas, que são jogados nelas de acordo como uma massa geral. Onde dentro dela eles mesmo se dividirem por ideias, interesses, ações, opiniões, mas nada disso pode mudar suas intersubjetividades. 

Sábado, 24 mar 1984. 
 "Caro Sr. Vernon, aceitamos o fato de que nós tivemos que sacrificar um sábado inteiro na detenção pelo que fizemos de errado ... e o que fizemos foi errado, mas acho que você está louco por nos fazer escrever este texto dizendo-lhe o que pensamos de nós mesmos. Que te importa? Você nos enxerga como você deseja nos enxergar ... Em termos mais simples e com definições mais convenientes. Você nos enxerga como um cérebro, um atleta, um caso perdido, uma princesa e um criminoso. Correto? Essa é a maneira que nós nos víamos, às sete horas desta manhã. Passamos por uma lavagem cerebral." 
- Brian Johnson 


Os anos 80 é um sucesso tanto no cinema quanto na música. Tenho que admitir que tudo que amo e admiro da Cultura Americana nasceu nesse período. Podem dizer, isso é fruto de uma padronização, e, quem não é? Houve época que eu podia me irritar só de pensar de agir baseada nas garras da padronização, hoje, eu gargalho disso. Acredito que tudo é escolha e a alienação mesmo que exista, sempre vem depois de uma escolha. O que vem depois dela é outra discussão. 
O Clube dos cinco aborda tantos temas para serem discutidos que não consegui não amá-lo. Diz mais do que aparenta e trás reflexões maiores que muitos esperam. Vai além do básico em uma estrutura pequena e que poderia não dizer nada. São discussões interessantes nos anos 80 e muitas ainda hoje. 
Problemas familiares, adolescentes, escolares. Trata daquelas discussões que fazem o público querer pensar a respeito. O que torna o filme tão especial é ele tratar cada um ali como um individuo autónomo, onde apesar do que a sociedade quer definir a seu respeito eles tentam se desprender a sua maneira, ou pelo menos, escolhem seguir o que lhe é imposto. 
Trata muito de questões de perspectivas, o próprio diretor da escola os trata de acordo com o que ele quer enxergar, como ele os classifica. Assim como os pais deles os vêem da maneira que acham correto, ora os pressionam, ora os ignoram. Querem definir o que serão e no fim não importa o que eles querem. 
Qual o adolescente que nunca passou por isso? O período em que se quer mais do que o mundo quer para você. A idade aonde querem colocar palavras em nossas bocas, pois dizem que ainda não autonomia para dizer mais. Aonde nos encaixamos cita como devemos falar e com quem, isso com o tempo só parece evoluir, e, é isso que o filme falar e mais um pouco. 
A maneira como cada um se trata é pelas definições dos grupos que pertencem ou por não pertencer a nenhum. Isso acaba por definir a maneira com que se tratam e agem uns com os outros. Quando o adolescente rebelde, John Bender, é confrontado sobre sua família ele demonstra o quão complicado é sua família quase que definindo os motivos de como ele é o porque dele enfrentar as situações em sua maneira particular. 



O filme trata muito das expectativas sobre os adolescentes e o quanto se almeja deles. O quanto que isso pode interferir em suas vidas e os manterem presos em ideias que nem sempre é o que eles querem, mas o que querem para eles. Acabando por escolherem o que a vida lhes proporcionam ou tentando fugir delas a sua maneira. 
Praticando ações que mesmo que venham a ferir seus valores pessoais, ainda assim, são práticas para manter vínculos sociais específicos. A pressão social sobre esses adolescentes que se vêem presos em estruturas da qual não conseguem fugir ou se encaixar cem por cento. 
Cada um tem uma visão diferente do que é uma cultura especifica e correta, do que devem fazer, como devem agir, muitas das vezes simplificando os problemas alheios, pois acabam por achar que os seus acabam por ser maiores. Não obstante, eles tentam e sua maior crítica é que eles compreendem onde estão e o porque, o caminho que resolvem seguir, e, o que lhes é imposto. Mas, no fim é escolha deles o que irão fazer, mesmo que hajam baseado na sociedade em sua volta. 
Eles mesmo dizem que podem não ser amigos na segunda feira, por causa do grupo de cada um. Mesmo que um o outro deseje isso, os outros sabem que no meio social, aquelas divisões sociais os limitam e eles aceitam isso, mesmo que, não venham a concordar. 

 "Caro Sr. Vernon, [...] Você nos enxerga como você deseja nos enxergar ... Em termos mais simples e com as definições mais convenientes. Mas o que descobrimos é que cada um de nós é um cérebro ... um atleta... um caso perdido... uma princesa... e um criminoso. Isso responde a sua pergunta? Sinceramente, o Clube dos Cinco. " - Brian Johnson 



Curiosidades:  

  • O diretor do filme é o John Hughes Jr, diretor de Curtindo a Vida Adoidado. A escola em que fora gravado o filme fora usada para algumas de cenas de Curtindo a Vida Adoidado, logo depois.  
  • A cena em que os cinco estão sentados em circulo no chão conversando sobre suas vidas e problemas, não estava no roteiro. O diretor deu liberdade para os atores em seus papeis. Sinceramente, acredito que é uma das melhores cenas do filme. Assim como, a cena em que eles fumam maconha é puro improviso.  
  • Carl Reed, o zelador está no mural de homem do ano de 1969. 
  • A placa do carro do nerd Brian Johnson é "EMC2" da fórmula física, assim como o do atleta Andrew Clark é OHIOST (Ohio State).  
   


Trailer: 


Filme: The Breakfast Club (Clube dos Cinco) 
Diretor(a): John Hughes Jr 
Gênero: Drama 
Duração: 97 min
Blog Widget by LinkWithin
Comentários
43 Comentários

43 comentários:

  1. Esse é um dos melhores filmes que já assisti.
    Big Beijos
    Lulu on the Sky

    ResponderExcluir
  2. Oi Agatha!
    Se tem um filme dos anos 1980 que todo mundo deveria assistir, é esse!
    O filme é muito bom e adorei sua resenha.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie flor ;p
      É incrível
      *0*
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  3. Eu nunca vi </3 me parece ótimo;

    Beijos
    http://intoxicadosporlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Talvez um dos melhores filmes dos anos 80... clássico obrigatório!

    SUA ESTANTE
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o modo como você compreendeu o filme.
    Realmente, a adolescência é um saco! Todos nós acabamos entrando em um grupo. Não por querer, e muitas vezes aquilo nem nos representa, mas é quase uma questão de sobrevivência.
    Abrimos mão do nosso individual para um comportamento de grupo, e deixamos que nos definam por ele.

    Muito legal, parabéns!

    Beijos,
    Andréia
    petitandy.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee Flor
      Muito obrigada.
      Com certeza a adolescência é uma fase muito complicada.
      Volte sempre
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  6. Fiquei com muita vontade de assisti depois que li suas palavras. Sua introdução foi muito bacana. Gostei mesmo.

    devoradores2livros.blogspot.com.br

    Um xero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      Assista sim ;p
      Muito obrigada
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  7. Parece ser um filme muito bacana, em A escolha perfeita fala sobre esse filme kkk
    Beijos
    http://onlypoison1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ágatha! Tudo bem? Eu nunca vi esse filme, mas sempre vejo o pessoal falando sobre ele. Ele tem uma pegada bem legal e interessante, talvez o veja em breve. Adorei o post! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      Tudo Sim ;p
      É um filme muito bom mesmo. Assista sim.
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  9. Olá. Parece ser um filme maravilhoso. Não acredito que não conheço!
    Irei assistir assim que tive oportunidade, obrigada pela dica.

    http://blogexplicita.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      É sim ;p
      Assista acho que irá gostar.
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  10. Acho que podemos definir que a adolescência é a melhor E pior fase da vida. Dizer que gostaria de ser adolescente pra sempre é a mesma coisa que dizer que quer permanecer imaturo, pois esse é o grande problema da fase, cheio de gente mesquinha que nem sabe direito o que tá fazendo ao próximo. E ao mesmo tempo é a fase em que vamos descobrindo quem realmente somos.
    Acredita que nunca vi esse filme? Sempre ouvi tanta gente falando bem, mas nunca apareceu a chance de assistir. Super adorei sua resenha, vou correr agora mesmo pra assistir o filme haha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha de "Segredos de uma noite de verão" no blog, vem conferir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      Com certeza, a adolescência tem um misto estranho, pois ao mesmo tempo que não é tão ruim, tem um pacote extenso de negatividade.
      Sério? Que bom que gostei, assista e depois me conte o que achou ;p
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  11. Ahhhh eu odiei minha adolescência. Não sabia nada, não tinha ideia para onde ia, era um patinho feio... não, não foi bacana e não tenho a menor saudade hahahaha
    Quanto ao filme, já ouvi muito sobre ele, tenho vontade de ver mas nunca o fiz.
    Te visitando, a vontade aumentou... como você, me interesso muito pela cultura americana no período.
    Beijos

    Meu Meio Devaneio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      Eu tambémmm kkk
      Veja sim, acho que comenta bastante esse tema ;p
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  12. Nossa, esse filme <3 Eu amo de paixão esse filme, e como ele lida com os estereótipos que a sociedade coloca nas pessoas, principalmente nessa fase da vida onde as pessoas ainda estão tentando descobrir seu lugar no mundo. Final e trilha sonora simplesmente fantásticos! Certamente um clássico que todos deveriam assistir. Um beijoo

    http://olivroemquehabito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      é perfeito mesmo, trilha maravilhosa ;p
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  13. Não acredito depois de ler essa resenha que nunca assisti esse filme, e olha que já assisti outro filme da Molly Ringwald, (gatinhas e gatões) espero mudar isso nessa semana se possível !! rs Beijos :*

    http://agarotasecreta14.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      Assisti ontem é bem legal *0* Gosto bastante ;p
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  14. Eu nunca,nem se quer tinha ouvido falar desse filme. Eu tenho que assistir *-* amo filmes que falam sobre a década de 70,80 e 90 *-*,e amo mais ainda quando o tema é sobre adolescentes !! Eu preciso assistir esse filme :3
    Gostei do blog e estou seguindo ♥ (venha conhecer o meu também).
    Beijas,
    http://mundoperdidodacarol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      O filme é bem legal, esse período é incrivel ;p
      Assista sim.
      Muito obrigada ;p
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  15. Olá Ágatha,

    Não conhecia o filme e achei bem interessante, fiquei curioso, ótima dica.....bjs.

    www.devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      Que bom que gostou ;p Assista sim *0*
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  16. Curte pelo post parece muito bom xD, agora quero assistir, aproveitar o fim de semana para isso, estava pensando em ver uns filmes mais antiguinhos rsrsrs perfeito xD
    Parabéns pelo post magnifico :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      Muito obrigadaa, assista tem uns bem legais ;p
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  17. Oi, Agatha, tudo bem?

    Tenho que concordar com a Carol, do Caverna Literária! Também acho a adolescência a melhor e a pior fase da vida ao mesmo tempo! Pior por todas as incertezas, inseguranças, desilusões e falta de controle, mas melhor por todas as aventuras, descobertas e possibilidades...eu adoraria poder viver mais a minha adolescência...passou tão rápido! Agora é só responsabilidade em cima de responsabilidade! hahahaha
    Adorei o post! Eu nunca assisti The Breakfast Clube, mas confesso que tinha vontade, apenas postergava pela "idade" dele, tenho agonia de assistir filmes antigos! Mas a Netflix tem ele no catálogo e vou tentar dar uma chance, afinal, é um clássico!!

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      Tudo sim ;p
      Também concordo kkk A adolescência é uma confusão estranha mesmo, mas as responsabilidades que vem depois parecem superar kk
      Que bom que gostou flor, assista sim, vi ele na Netflix
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  18. Nunca assisti ao filme, acredita? Mas parece ser bom pela sua resenha :D

    http://confissoesdeumaaprendiz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      Sério? é bem legal
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  19. Adolescência é um período complicado, o inicio dela pra mim foi ótima, o final dela? Foi péssimo. E o porque disso? Simples... padrões. Enfim, sobre o filme acho que ele deve ser muito bom mesmo pois também acredito que a era de 1980/90 foi ótima para o cinema. Clássicos que realmente nos fazem refletir os de hoje? Só Deus na causa...

    beijos
    Vento Literário / No Facebook / No Twitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      Pois é, o tentar se encaixar nos padrões é ruim mesmo o não tentar também ruim. Fato
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  20. Caraca, adoro esse filme, tanto que já perdi as contas das vezes que assisti. Acho que mesmo sendo um filme antigo, ele pode sim ser usado pra refletir várias coisas nos dias de hoje.
    Zona de Conspiração | Facebook da Zona | Canal do Zona

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      é muito bom mesmoo ;p
      Vale a pena ver várias vezes.
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  21. Tudo sobre esse filme é maravilhoso! Criei uma página no Facebook (80's Classics) praticamente por causa dele! HAHAHA
    renatavarela.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee
      É muito bom mesmoo, vou visitar sua páginaa *0* Que ideia legall
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Screepeer - 2015. Todos os direitos reservados.
Design Por: Jordânia Queiroz.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo