domingo, 14 de junho de 2015

Lembranças incontroláveis


Perdoe-me, mas ainda tenho medo de te encontrar. Sempre que me arrumo para sair e passo por onde sei que posso te encontrar, temo de que de alguma forma eu possa esbarrar em você.
Minha ideia de liberdade para de fazer sentido sempre que nós olhamos um para o outro e paramos para conversar. É estranho saber que quando estamos juntos tudo parece tão igual, mas distantes é nítido que o que tínhamos acabou. Isso assusta e confunde, mata aos poucos o pouco dentro de mim que tenho tentado reviver.
Ás vezes me perco pensando que por diversas vezes tive que respirar fundo e esconder uma dorzinha estranha dentro de mim sempre que passava por aqueles lugares. Esses onde estivermos, passamos ou brigamos.
Se não consigo conversar sobre bebidas alcoólicas com você é porque foi para tentar fugir de você que bebi pela primeira vez. Foi para tentar sorrir de verdade que resolvi experimentar um outro lado da vida que sempre critiquei. Nunca mudou muita coisa, não obstante me ajudou a me sentir viva por alguns momentos, mesmo que depois tudo piorasse.
Quando acabou de verdade não quis acreditar até ver você seguir em frente. Isso me matou, mas sorri perante todos e levantei a cabeça para provar que podia. Gostaria que isso fosse tão real quanto o que eu realmente sentia, não obstante fora tudo o que pude fazer. Não sou do tipo que se mostra fraca, muito menos, que tem paciência com quem o faça, talvez, seja o motivo de ser mais difícil.
Ouvir você falar dela me faz pensar que ela conquistou tudo o que nunca fora capaz de alcançar. Tocando o coração que só consegui, da maneira que só eu posso, de mim afastar. Isso fere, e, expande a ferida que se depender de mim ninguém nunca irá enxergar.

Apenas sorrio e torço para o tempo apagar ou disfarçar a ferida que você nem imagina que ainda aqui poderia estar. Muitos se passaram, mas ninguém consegue fazer aquela história parar de me atormentar nas lembranças incontroláveis que luto para suportar.
Blog Widget by LinkWithin
Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Nossa... esse texto foi tipo uau o.o você escreve muito! Eu acho que eu seria exatamente dessa forma se eu terminasse com meu namorado.... e espero que não passar por isso XD

    bjs, Carol | Espilotríssimo
    www.carolespilotro.com

    ResponderExcluir
  2. Oie =)

    Relacionamentos são complicados ...as vezes realmente temos que disfarçar a dor com um sorriso e tentar manter com a gente apenas as lembranças boas daquilo que um dia achamos que seria eterno.

    Belo texto!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Screepeer - 2015. Todos os direitos reservados.
Design Por: Jordânia Queiroz.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo