quarta-feira, 17 de junho de 2015

Impasses comuns

Weheartit

Os carros  estão correndo por todos os lados e estou parada no meio da pista. Torcendo para não ser atropelada e me perguntando como cheguei aqui, vejo pessoas na passarela ou na calçada e me pergunto como chegar até um dos dois, mesmo que o meu real objetivo seja o vale que mal consigo enxergar do outro lado da cidade. Mas, para o alcançar preciso me mover, mesmo que um passo errado e tudo possa complicar
Há escolhas, tal como voltar ou pegar uma carona para qualquer lugar. Não obstante, não gosto de arriscar ir para qualquer lugar, já fiz isso indo parar ali. Dei sorte, mas essa não sorri sempre.
Fico aliviada quando me recordo que antes de dar o primeiro passo mal sabia aonde poderia chegar. Hoje tenho algumas ideias, muitos objetivos e mais sonho do que achei que poderia ter neste instante da vida. Chegava a pensar que nesta idade tudo estaria resolvido, sorrio, pois ainda acho isso quando olho para algum ponto do futuro.
A opção de esperar as pessoas atravessarem no momento certo me deixou inquieta e infeliz, tive que arriscar para me sentir viva por tentar. Mesmo que, ainda exista muito para tentar conquistar ou passos certos para tentar dar.
São tantos sonhos para tão pouco tempo. Escuto as pessoas reclamarem por sobra de tempo e me vejo cada vez mais inclusa em uma realidade bem distante a isso. São tantos sonhos e objetivos, tantas variações de caminhos que me fazem lutar por finais que mal sei como o meio superar para os fins alcançar.
O mais engraçado é que meu problema não envolve a preocupação de chegar no vale tão almejado, mas de me perder a ponto de não saber aonde estou ou fui parar. Pois, posso estar em meio a uma confusão, mas sei em que rua vim parar e mesmo sem saber qual é o próximo passo, sei que só tenho que esperar.
A segurança não está no caminho, mas no reconhecimento de aonde posso estar ou arriscar. Sabendo a hora certa e a hora errada de arriscar, isso não é chato ou uma maneira segura, mas o meio termo em que gosto de habitar.
O meio da rua não é o precipício, mas a vida confusa que mesmo que não sendo a mais segura é interessante, tal como aquelas aventuras que é difícil prever, mas fácil imaginar diversas possibilidade. Posso não estar na passarela, mas o risco pode trazer mais possibilidades. Mesmo que, sempre me ponho para o analisar.
Blog Widget by LinkWithin
Comentários
14 Comentários

14 comentários:

  1. Adorei o texto <3
    bjuxxx
    http://www.taayvargas.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Agatha! Adorei o blog e já to seguindo, parabéeens! Quanto ao texto, a sensação que tive é de sufocamento... Acho que quem vive em grandes cidades se sente assim.

    Beijão, Guta! ♥
    www.opinada.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza *-*
      Brigadinha ;p
      Beijinhos Screepeer
      screepeer.blogspot.com

      Excluir
  3. Adorei o texto
    http://eesmaltecia.blogspot.com.br/2015

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ágatha! Tudo bem? Nossa, adorei o texto! A sua escrita é ótima e bem fluída! Parabéns pelo texto e blog que é bem bacana! *-*

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oie Ágatha =)

    Parabéns pelo texto! Como sempre a sua escrita é ótima e nos prende ao texto!
    Adorei!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ownt *-*
      Muito obrigada flor ;p
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  6. Ameei o blog o texto tudo parabéns e sucesso voo super seguindo vc aqui beijão !

    ResponderExcluir
  7. Adorei o texto!
    Queria eu saber escrever bem assim hehehe

    Beijos,
    Blog Jéssica Alves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ownt *0* Brigadinhaaa flor
      Volte sempreee
      Beijinhos Screepeer

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Screepeer - 2015. Todos os direitos reservados.
Design Por: Jordânia Queiroz.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo