domingo, 28 de junho de 2015

Casa da vovó

Weheartit

As lembranças são estranhas, ainda mais quando se tratam da infância. Nunca são completas, sempre ficam ora as melhores partes, ora as piores. No meu caso, posso dizer que tenho ótimas histórias que quando veem não consigo parar te sorrir, principalmente, quando me recordo da casa da vovó.
O friozinho do interior de São Paulo, os pés com meias sujas, o cheiro de chá e o cobertor sendo arrastado pela casa de manhã. A varanda enorme com um sofá para se deitar enquanto o mundo levantava, e, eu esperava meu primo chegar para correr pela casa.
A casa da vovó, posso dizer que fora um dos melhores lugares que me lembro de já ter pisado.  As risadas e o pão na frigideira que todas as tardes ela fazia, nunca me lembro o contexto, mas me lembro que esperava enquanto corria de um lado para outro. Pulava no sofá e corria quando ela viam correndo para mandar eu parar.
São lembranças que as vezes se perdem na correria do dia-a-dia, mas quando aparecem enchem o coração de saudade daquilo que não pode retornar. São cheiros e sorrisos inesquecíveis, momentos em que o mundo não precisava fazer sentido e as escolhas eram apenas palavras que eu nem percebia que pronunciava.
A virada de ano na casa dos meus avós sempre fora e é, o momento em que toda família tenta se reunir. Hoje, há anos em que não posso ir, ou meu primo tem que ir para outro lugar, ou meus tios desaparecem. Na infância, lembro que, sempre estavam todos lá, mesmo quem eu conhecia até quem eu não conhecia.
Não havia piada ou perguntas desconfortáveis de algumas pessoas, ora comentário maldosos, ora nada que eu realmente conseguisse notar. Pois, aos meus olhos eu só gostaria de correr para um lado para o outro e esperar minha avó vir cobrir eu e meu primo na hora de dormir.
Meus pais não me mandavam ir para casa, tal como eu não tinha que viajar de volta para o Rio de Janeiro. Pois, era como se eu vivesse lá em minha lembranças, onde tudo fazia sentido, desde as brincadeiras mais bobas ás refeições mais simples.
Não achava que chegaria o dia que olharia para atrás e gostaria de voltar. Não acreditaria que hoje estaria aqui, depois de digitar milhares de trabalhos atrasados da faculdade e desejaria o chá quente da vovó e as festas de família, em que eu corria descabelada e me achavam bonitinha por isso.
A saudade deles vem nos dias em que vejo que nada mais pode retornar, pois desenhamos o futuro, afinal o passado é o livro já publicado que só podemos consultar, mas nunca modificar.
É complexo imaginar, feliz e triste de lembrar. Pois, sentir falta é o vazio que não se pode completar.

Obs: A imagem foi pega no Weheartit.
Blog Widget by LinkWithin
Comentários
24 Comentários

24 comentários:

  1. Lindo texto!
    Estas lembranças as vezes nos confortam e preenchem nosso coração de amor, mas as vezes a saudade dói né?
    As lembranças mais lindas que carrego são com minha avó, nossa ligação era muito especial.
    Beijinhos
    www.wonderbooksdaalice.com

    ResponderExcluir
  2. Oie,
    lindo!
    sentir saudades e saber que nunca vai passar é uma das piores coisas que podemos sentir, não é?

    bjos
    http://blog.vanessasueroz,com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Que texto lindo. Meu olhos marejaram. <3
    Eu sinto muita saudade do meu vô. Chega a doer. :/
    Beijos.

    http://www.leituradelua.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Owntt Flor brigadinha *o*
      Deve doer mesmo :(
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  4. Oie Agatha =)

    As vezes a única coisa que nos resta é se apegar as boas lembranças...
    Lindo texto!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  5. Lindo seu texto. Infelizmente não conheci nenhum dos meus avós. Como gostaria de ter essas lembranças.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Texto maravilhoso. Adorei;
    As lembranças é uma das melhores coisas que se pode existir, me deu saudades de ir na casa da minha vó agora <3

    Beijos
    http://intoxicadosporlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siimm *o* Que bom que gostou ;p
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  7. Belo testo... me fez lembrar minha vó e do meu avô... Já seguindo seu Blog. Bjs http://amoreseamorasforever.blogspot.com.br/2015/06/amores-possiveis-e-impossiveis-voce.html

    ResponderExcluir
  8. Ai que texto e declaração mais linda! Fiquei lembrando da minha infância na casa da minha avó, me emocionei com o texto! Parabéns.

    www.nahboa.com

    ResponderExcluir
  9. Ágatha que amor de texto te compreendo perfeitamente. Tenho ótimas lembranças dos dias ao lado da minha vó. Amo tanto e sinto tanta falta da minha Vardezinha amada s2

    bjoesss e boa semana

    www.papuff.com

    ResponderExcluir
  10. Ai, como já percebeu eu amo a minha avó, e sempre que posso vou lá, adoro aquele pedacinho do céu, sei que ela já está meio doentinha e quero aproveitar o máximo dos momentos com ela, eu adorei o texto :D <3

    http://agarotasecreta14.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim ;p
      Está certo, nossos avos são importantíssimos ;p
      Beijinhos Screepeer

      Excluir
  11. Nossa, que lindo texto. Tem uma parte que me lembra da inocência da infância, hoje em dia conseguimos perceber a maldada que na verdade sempre existiu nas pessoas, mas naquela época pouco importava :( lindo texto mesmo, parabéns!
    -
    Caroline Guccione

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ;p Pois é, dai a gente finge não vê, mas fica dificil
      Brigadinha flor
      Beijinhos Screepeer

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Screepeer - 2015. Todos os direitos reservados.
Design Por: Jordânia Queiroz.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo