quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Novas nuvens

Toquei suas mãos com carinho, assim como adormeci ao seu lado com cuidado, após a noite conturbada que tivemos. Talvez seja assim, as tempestades vem e vão, mas nosso eu sempre permanece vivo dentro de nós. Eu só almejava permanecer adormecida com os seus olhos sobre mim. Era como uma porção que me mantinha adormecida por horas. Mas, quando amanheceu, o sol não levou as pesadas nuvens que invadiram nosso céu, elas ficaram e provocaram outra tempestade. Você saiu pela porta e levou o olhar que me anestesiava.
Eu escorreguei até o chão e assim permaneci por horas. Não havia reação, apenas um vazio estranho que se abria dentro em meu interior. Não sentia vontade de chorar ou de gritar, o sono não batia na minha porta, porém a tal da Dor, estava como uma visitante indesejada que não queria partir de maneira alguma.
-A senhora poderia se retirar? – Eu perguntei sem forças.
A tal da Dor deu um sorriso cansado e respirou fundo, o que me causou certo incomodo a principio.
- Perdoe-me querida, mas não será possível!
A voz cansada da Dor fez-me sentir um embrulho no estomago. Ela era velha e eu não tinha certeza se realmente gostava de seu trabalho. Talvez eu só não conseguisse enxergar razão para ela estar do lado de alguém e gostar por fazer-lo sofrer.
-Não existe razão para eu aparecer, apenas circunstancias. A Compreensão não é minha amiga, eu apenas estou do lado de quem eu sinto que me chama! – Falou a Dor.
- Mas eu não te chamei! –Falei exaltada.
- Nem sempre é necessário pedir com palavras ou pensamentos para eu aparecer, são ás circunstâncias que me buscam e me fazem vir. – Ás palavras da Dor não fazia muito sentido para o meu eu, pelo contrário, sua voz fazia-me desejar me esconder num cobertor de solidão.
-E como faço para te fazer partir? – Perguntei.
A Dor deu outro sorriso cansado. Se nem a própria Dor, sabia como ir embora, imagine como eu saberia que ela deveria partir. Parecia injusto, ainda me parece, você partir e ela ocupar o seu lugar. E pensar que foi você quem me tirou dela um dia. Como pode um médico te curar e depois partir e te deixar doente novamente. Você me mostrou a luz e depois me jogou nas trevas, isso me assusta.
Não suporto ás lágrimas que do nada começaram a surgir e muito menos encarar a Dor. Ás vezes ela me abraça, o que só faz eu me afundar ainda mais. O tempo vai passando e eu já nem sei que quero te ver, não tenho mais certeza que quero seu toque em minha pele ou se quero que o destino te traga. Não sei se este buraco que você deixou, vai continuar se fechando aos pouquinhos se você voltar.
Esta manhã eu consegui enxergar o sol pelo vão da porta, enxerguei a luz pela porta que você passou. Por alguns segundos eu me esqueci do por que estava a tanto tempo sofrendo. Procurei a Dor que estava sentada no sofá e percebi que ela estava mais fraca e eu mais forte. Levantei-me, pela primeira vez em muito tempo, encarei a luz com toda a força existente em mim e abri a porta.
O dia estava belo, os pássaros cantavam e ás pessoas transitava pela rua, seguindo suas vidas, algumas preocupadas com o horário, outras andando sem destino, outras apenas seguindo o fluxo das demais. Não te vi, mas também não senti sua falta. Eu ri e pela primeira vez e lágrimas de felicidade escorreram pela minha face. Não vou dizer que do nada eu te esqueci, nem que segui minha vida normalmente. Por meses eu ainda podia ver a Dor sentada no sofá, por muito tempo eu ainda senti ás lágrimas correrem pela minha face. Porém, agora, eu podia enxergar a luz do fim do túnel, eu tive fé para trilhar meu caminho comigo mesma.
Não sou mais do tipo que pensa que: não posso viver sem ninguém. Ainda choro por me sentir sozinha, algumas vezes ou milhares. Ainda lembro-me do seu sorriso e seu olhar atencioso, mas agora, eu apreendi que eu tenho a chance de trilhar novos horizontes. Não preciso mais de alguém para me curar, preciso apenas da minha fé no caminho correto. A paixão é importante, é um caminho lindo, mas não podemos fazer dela o único a seguir.
Pode perceber que usei a palavras “Amor”, bom, o amor vai além do romance pelo qual muitos buscam, ele entra na montanha fraterna, na montanha da amizade, na montanha da caridade, existem muitos caminhos que nos levam a ele, mas devemos saber que em todas essas montanhas, existe a presença da Dor, só precisamos fazer de tudo para que ás circunstancias não nos leve até ela.
Blog Widget by LinkWithin
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Adorei seu blog e estou seguindo, segue o meu também!?

    Beijos, G.R ♥
    http://gabriellyrosa.blogspot.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Screepeer - 2015. Todos os direitos reservados.
Design Por: Jordânia Queiroz.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo