terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Sem direção...

E ela pisa no chão gelado mais uma vez e se arrasta em busca do controle da TV, jogado no chão junto com seu ego, se sentia perdida e sem destino, sem ter para onde fugir ou se abrigar, não compreendia o porque destes sentimentos estranhos, mas era apenas como se sentia, perdida em seus próprios pensamentos e medos cruéis da infancia,insistia em pensar nele para poder sorrir e talvez ter um propósito.
E ao mesmo tempo em que ela queria pegar o telefone e em uma simples ligação dizer "Eu te amo", mas ela não sabia se está era a coisa certa a fazer, não por medo e sim por duvida, será ele? Será que tudo o que eu faço é por ele ou por mim? E sua cabeça está lotada de duvidas cujo ninguém é capaz de respondê-las, sua garganta está reclamando após gemer na dor das lágrimas, das duvidas cruéis, e ela reflete cada segundo cujo teve a chance de dizer está pequena e simples frase, e então encara o espelho e põe para fora tudo o que realmente sente - perguntas e respostas cujo nunca teve a coragem de se fazer ou responder com sinceridade - e neste instante, mesmo que as lágrimas caiam de sua face, ela se dá conta que toda essa confusão fora apenas para mostrá-la que o ela sente não é amor por ele, e sim pela ilusão de querer amá-lo, ela olhava para ele não com paixão e sim com adoração, adoração áquele cara que ela queria que fosse o certo para ela, adoração áquele cara que ela achou que pudesse apreender a amar.
Mas hoje ao se libertar, ela sucessivamente se liberta da ilusão, e percebe que o amor não é ela que escolhe e sim ele que a encontra.
Blog Widget by LinkWithin
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Screepeer - 2015. Todos os direitos reservados.
Design Por: Jordânia Queiroz.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo