terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Amizade degradante



A vida é um eterno desafio, durante cada passo que dou sempre me aparece um bem maior que o esperado, ao longo da minha vida encontrei muitas pessoas que colocavam o pé para me fazer cair, e por diversas vezes eu caí, e caí feio, mas todas as vezes eu me levantei, limpei a poeira e segui em frente.
E por ter me machucando tantas vezes, perdi a confiança no ser humano, blindei meus sentimentos para me impedir de sentir dor, mas sempre que você deixa uma porta entre aberta em seu passado, seus fantasmas voltam para lhe assombrar, a história a seguir é sobre um deles.
Na infância tudo parece tão doce e perfeito, o céu é mais azul, não enxergamos a poluição na alma do ser humano, mesmo quando crescemos e depois de tanto cair, é difícil enxergar. Ainda mais quando vem de uma amiga, sabe aquela garota que de uma hora para outra aparece, e de alguma forma consegue ser uma das pessoas mais legais, sinceras e engraçadas do seu mundo, e o tempo passa e ela se torna até mesmo sua irmã, você confia seus segredos e medos mais profundos e ela parece te apoiar como ninguém foi capaz, mas a questão é o ser humano só enxerga o que ele quer ver, e por muito tempo foi assim, e por muito tempo eu estava cega por uma amizade que só me fazia cair, eu me olhava no espelho e não me sentia bonita ou feliz, não me sentia eu mesma, por mais que eu tentasse é como se estivesse presa dentro do corpo de outra pessoa, e por alguns segundos eu destampei meus olhos, e quis enxergar de verdade o que estava acontecendo, e me assustei com o que eu vi, me encolhi e chorei, mas chorei até não ter mais pelo que chorar, mas minhas lágrimas ainda invadiam meus olhos... Burra... Burra... Burra... Gritava em minha cabeça, uma guerra se iniciou dentro de mim, e virei um gatinho assustado, cada vez que eu me lembrava de cada dia que ri de mim mesma, por cada coisa ela dizia.
Na vez em que comecei emagrecer, e me sentir bem e bonita, todos me diziam que eu estava, mas não a tal amiga, suas palavras eram sempre “Você está ficando horrível”, “ Está precisando pegar corpo hein..." , ouvia isto até da sua mãe, e eu apenas corava e sorria, ou em um final de ano que fiquei de recuperação " Duvido que você vá passar, burra do jeito que é..." , Burra...Burra...Burra... E mais uma vez isto martelava na minha cabeça, confesso que nunca fui boa em dança ou em canto e também nunca quis ser, mas de qualquer forma ela gostava de ressaltar isto, ria toda vez que eu cantava por brincadeira ou dançava e eu ria junto, Burra... Burra... Burra, gritava em frente ao espelho, ela sempre quis um namorado, ou melhor, alguém para exibir por aí, e foi um longo percurso pegando qualquer coisa que se mexesse até ela conseguir um, e quando conseguiu - depois de correr atrás de um, que outra amiga dela era afim -, sempre que discutia comigo terminava a discussão com um “Pelo menos eu tenho um namorado" e eu rebatia” Não tenho, porque não aceito qualquer idiota enfiando a língua na boca”, e a lista é extensa, tão extensa quando a magoa que ficou quando dei por mim, pois, quando me rebelei e a enfrentei, quando tive a coragem de ser quem eu sou, sem me importar com suas criticas sobre como me visto ou sobre o que eu escuto, segundo ela fui criança.
Parei de me importar e partir, e ela voltou convencendo a todos a minha volta de que tinha mudado, colocou uma mascara de puritana, e minha amigas diziam " Ela faz de tudo para recuperar sua amizade", e eu apenas ri seco, tentei de verdade dar uma última chance, pois, na primeira oportunidade, ela conseguiu jogar as pessoas contra mim, apenas por eu ter minha própria opinião, e eu derrubei esse muro sem me importar e segui em frente, e fiz dela na minha vida tão invisível quando o ar, e tão essencial quando o aquecimento global, mais uma vez ela tentou aparecer e eu juntei minhas forças e passei por cima. Pois, não importa quantas vezes meus fantasmas venham me assombrar, eu vou manda-lo de volta pelo buraco que eles saíram.
Amizades verdadeiras, não são aquelas que te fazem chorar, não são aquelas roubam sua força vital, e sim aquelas que quando você mais precisar ela vai te dar a mão e te ajudar a levantar e não te empurrar, e que quando precisar vai te falar a verdade, mas te dando o ombro para chorar, que vai rir com você e não de você, e não pense nem por o segundo que vale pena ficar com elas, pois pelo menos assim, você terá com quem conversar ou andar, lembre-se antes só do que mal acompanhado, a solidão machuca, mas, também te fortalece, e amigos você só encontra se libertando, sorria e seja você mesmo, sorria e levante a cabeça, pois você é perfeito do sendo quem é, e não quem o mundo quer que seja!
Blog Widget by LinkWithin
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Screepeer - 2015. Todos os direitos reservados.
Design Por: Jordânia Queiroz.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo